A Igualdade de género em 18 minutos



CANDIDATURAS AO CARGO DE 
ADMINISTRATIVO/A DO PROJETO VITA 086324/2012/73

ASSOCIAÇÃO PROJECTO CRIAR
pela defesa dos direitos das crianças
combate ao abuso sexual, violência  doméstica
e ao tráfico de seres humanos

Entre o dia 30 de Abril a partir das 21:00h e o dia 7 de Maio até às 21:00h decorre o concurso para ADMINISTRATIVO/A do projeto supracitado.

O objeto social da Associação Projecto Criar (APC) consiste em:
a) Apoiar crianças e jovens em perigo;
b) Prestar serviços de natureza jurídica, clínica, social a mulheres, crianças, jovens e famílias, quando estejam na qualidade de ofendidos/as;
c) Defender juridicamente os interesses das mulheres, crianças e jovens em processos no âmbito da Organização Tutelar de Menores, em processos tutelares educativos ou em processos de promoção e protecção e nos processos-crime;
d) Defesa jurídica das mulheres vítimas de maus tratos, violência doméstica, abuso sexual, tráfico para fins sexuais, ou outro tipo de crimes que se enquadrem no âmbito do objecto da associação;
e) Defender clinicamente as mulheres, crianças e jovens e suas famílias;
f) Proteger as mulheres e crianças vítimas de abusos sexuais, maus tratos, violência doméstica, tráfico de seres humanos e outro tipo de crimes;
g) Ajudar a respeitar a audição das crianças em todos os processos que a elas digam respeito;
h) Proteger a relação afectiva da criança com a figura primária de referência;
i)  Proceder a estudos relativamente a matérias que, no campo do Direito, sejam relevantes para a efectivação dos objectos da associação acima referidos bem como no que concerne à igualdade de direitos e oportunidades legalmente consignada;
j) Propor às instâncias competentes a elaboração, alteração ou revogação de quaisquer diplomas a fim de obter efectivação dos objectos da associação, bem como a plena igualdade de direitos e oportunidades;
k) Promover o esclarecimento e o debate sobre a situação das mulheres e das crianças e jovens, divulgar os seus direitos e denunciar, por todos os meios as formas de discriminação;
l)  Promover o empreendedorismo social e a responsabilidade social;
m) Fomentar o intercâmbio de conhecimentos e experiências com outras organizações a nível nacional e internacional e colaborar com elas em iniciativas que possam contribuir para a prossecução dos fins da Associação.

O PROJETO VITA visa essencialmente:

Criação de um espaço de atendimento ao público na Associação com vista ao apoio às vítimas de violência de género, de maneira a melhorar os mecanismos de apoio e consulta psicológica e jurídica, fora do contexto judiciário, incluindo as vítimas de TSH para fins de exploração sexual ou para crianças abusadas sexualmente, apoio que será dado sempre através de técnicos/as especializados/as com vista a que seja um apoio eficaz e que prevenir a revitimização. Também neste espaço poderá ser dado apoio nas questões relacionadas com as questões da igualdade de género no local de trabalho, na rua e na vida privada.
Na organização deste espaço são criadas fichas com dados relevantes para angariação de estatísticas e fichas padronizadas com elementos que consideramos fundamentais ao bom desempenho da nossa atividade. 
Organização de 4 fóruns com duração de 1 dia cada, com respetivo envio de convites às entidades, elaboração do programa, criação de flyers e sua divulgação junto de entidades parceiras  - Centro de Estudos Judiciários, Conselhos Distritais da Ordem dos Advogados, Coordenações Distritais da Procuradoria Geral da República, Comandos Distritais da GNR e da PSP, estruturas sindicais representativas das diferentes profissões associadas a estas entidades, Comissão Nacional de Protecção das Crianças e Jovens em Risco, Ordem dos Psicólogos, Ministérios; Autoridade Central (Convenções Internacionais), Segurança Social; Associações Juvenis - a desenvolver na região de convergência do Norte.
Elaboração e publicação dos textos decorrentes dos fóruns e Elaboração e publicação do manual de boas práticas a ser usado junto das comissões de protecção de crianças e jovens em perigo, com colocação no site da APC. E a articulação entre o sistema policial e judiciário e a própria associação.

Como critérios de selecção são estabelecidos os seguintes:

a)       Conhecimento da área específica do projecto ao qual se candidata, de preferência com licenciatura na área das ciências humanas (preferencialmente psicologia);
b)       Possuir experiência anterior como administrativo/a,
c)        O trabalho de voluntariado desenvolvido anteriormente nesta área específica;
d)       Trabalho voluntário na Associação Projecto Criar, no sentido geral;
e)       Capacidade para antever situações que podem vir a ser um problema,
f)         Excelente capacidade de organização, gestão e planeamento pessoal e de uma equipa,
g)       Demonstrar capacidade para dar apoio à coordenação e gestão financeira do projecto.
h)       Capacidade para elaboração expediente diário,
i)         Demonstrar capacidade para um atendimento telefónico e pessoal a vítimas vulneráveis,
j)         Boa capacidade de comunicação e relacionamento interpessoal,
k)        Possuir uma apresentação cuidada,
l)         Capacidade para gerir a base de dados dos/as Associados/as,
m)      Aptidão para trabalhar nas redes sociais, nomeadamente Facebook e no Blog da Associação e softwares informáticos de gestão,
n)       Evidenciar capacidades pro-ativas na gestão das tarefas, forte capacidade de iniciativa, polivalência e rigor,
o)       Capacidade para trabalhar sobre pressão,
p)       Demonstrar experiência no âmbito de outros projectos financiados pelo Fundo Social Europeu,
q)       Demonstrar competências para a concretização do projecto nas suas diferentes vertentes: atendimento e acompanhamento de vítimas vulneráveis em termos administrativos, organização das vítimas que compõem os grupos terapêuticos, marcação de agenda para a articulação do gabinete com sistemas de apoio a agressores independentes da Associação, marcação de agenda para articulação do sistema judicial e policial com a Associação, capacidade para estabelecer parcerias com instituições e pessoas com  elevados cargos de direção.
r)        Demonstrar capacidade para definir estratégias com vista à articulação entre o sistema policial/judiciário e a Associação Projecto Criar.
s)        Capacidade para criar/idealizar procedimentos internos de organização de uma bolsa de especialistas,
t)         Perspectiva feminista.
u)       Familiarização com os temas da violência de género.

As candidaturas são apresentadas através carta de motivação e envio do CV para o mail: projectocriar@gmail.com

Nota: Caso o curriculuns enviados se adequem aos critérios de seleção antecipadamente estabelecidos, será agendada uma entrevista presencial, através do envio do dia, hora e local da entrevista para o email do/a candidato/a. 
Projecto Financiado Pelo Fundo Social Europeu através do POPH

CANDIDATURAS AO CARGO DE 
ADMINISTRATIVO/A DO PROJETO GIAC 084230/2012/77

ASSOCIAÇÃO PROJECTO CRIAR
pela defesa dos direitos das crianças
combate ao abuso sexual, violência  doméstica
e ao tráfico de seres humanos

Entre o dia 30 de Abril a partir das 21:00h e o dia 7 de Maio até às 21:00h decorre o concurso para ADMINISTRATIVO/A do projeto supracitado.

O objeto social da Associação Projecto Criar (APC) consiste em:
a) Apoiar crianças e jovens em perigo;
b) Prestar serviços de natureza jurídica, clínica, social a mulheres, crianças, jovens e famílias, quando estejam na qualidade de ofendidos/as;
c) Defender juridicamente os interesses das mulheres, crianças e jovens em processos no âmbito da Organização Tutelar de Menores, em processos tutelares educativos ou em processos de promoção e protecção e nos processos-crime;
d) Defesa jurídica das mulheres vítimas de maus tratos, violência doméstica, abuso sexual, tráfico para fins sexuais, ou outro tipo de crimes que se enquadrem no âmbito do objecto da associação;
e) Defender clinicamente as mulheres, crianças e jovens e suas famílias;
f) Proteger as mulheres e crianças vítimas de abusos sexuais, maus tratos, violência doméstica, tráfico de seres humanos e outro tipo de crimes;
g) Ajudar a respeitar a audição das crianças em todos os processos que a elas digam respeito;
h) Proteger a relação afectiva da criança com a figura primária de referência;
i)  Proceder a estudos relativamente a matérias que, no campo do Direito, sejam relevantes para a efectivação dos objectos da associação acima referidos bem como no que concerne à igualdade de direitos e oportunidades legalmente consignada;
j) Propor às instâncias competentes a elaboração, alteração ou revogação de quaisquer diplomas a fim de obter efectivação dos objectos da associação, bem como a plena igualdade de direitos e oportunidades;
k) Promover o esclarecimento e o debate sobre a situação das mulheres e das crianças e jovens, divulgar os seus direitos e denunciar, por todos os meios as formas de discriminação;
l)  Promover o empreendedorismo social e a responsabilidade social;
m) Fomentar o intercâmbio de conhecimentos e experiências com outras organizações a nível nacional e internacional e colaborar com elas em iniciativas que possam contribuir para a prossecução dos fins da Associação.

Como critérios de selecção são estabelecidos os seguintes:

a)   Conhecimento da área específica do projecto ao qual se candidata, de preferência com licenciatura na área das ciências humanas (preferencialmente psicologia);
b)       Possuir experiência anterior como administrativo/a,
c)        O trabalho de voluntariado desenvolvido anteriormente nesta área específica;
d)       Trabalho voluntário na Associação Projecto Criar, no sentido geral;
e)       Capacidade para antever situações que podem vir a ser um problema,
f)         Excelente capacidade de organização, gestão e planeamento pessoal e de uma equipa,
g)       Demonstrar capacidade para dar apoio à coordenação e gestão financeira do projecto.
h)       Capacidade para elaboração expediente diário,
i)         Demonstrar capacidade para um atendimento telefónico e presencial a vítimas vulneráveis,
j)         Boa capacidade de comunicação e relacionamento interpessoal,
k)        Possuir uma apresentação cuidada,
l)         Capacidade para gerir a base de dados dos/as Associados/as,
m)      Aptidão para trabalhar nas redes sociais, nomeadamente Facebook e no Blog da Associação e softwares informáticos de gestão,
n)       Evidenciar capacidades pro-ativas na gestão das tarefas, forte capacidade de iniciativa, polivalência e rigor,
o)       Capacidade para trabalhar sobre pressão,
p)       Demonstrar experiência no âmbito de outros projectos financiados pelo Fundo Social Europeu,
q)    Demonstrar competências para a concretização do projecto nas suas diferentes vertentes: atendimento e acompanhamento de vítimas vulneráveis em termos administrativos, organização das vítimas que compõem os grupos terapêuticos, marcação de agenda para a articulação do gabinete com sistemas de apoio a agressores independentes da Associação, marcação de agenda para articulação do sistema judicial e policial com a Associação, capacidade para estabelecer parcerias com instituições e pessoas com  elevados cargos de direção.
r)        Demonstrar capacidade para definir estratégias com vista à articulação entre o sistema policial/judiciário e a Associação Projecto Criar.
s)        Capacidade para criar/idealizar procedimentos internos de organização de uma bolsa de especialistas,
t)         Perspectiva feminista.
u)       Familiarização com os temas da violência de género.

As candidaturas são apresentadas através carta de motivação e envio do CV para o mail: projectocriar@gmail.com

Nota: Caso o curriculuns enviados se adequem aos critérios de seleção antecipadamente estabelecidos, será agendada uma entrevista presencial, através do envio do dia, hora e local da entrevista para o email do/a candidato/a. 


Projecto Financiado Pelo Fundo Social Europeu através do POPH
Segundo Curso para Juristas (36 horas) 

data inicial: 31 de maio de 2013 
data final: 22 de junho de 2013 

Local: Universidade Católica Portuguesa - Pólo da Foz 
Sextas feiras: sala dos executivos | Sábados: sala EC-136 

Coordenação Científica: Prof.ª Doutora Maria Clara Sottomayor 
Coordenação do Projecto Criar: Dr.ª Leonor Valente Monteiro

 
Primeiro Curso para Juristas (36 horas) 

data inicial: 03 de maio de 2013 
data final: 25 de maio de 2013 

LOCAL: Universidade Católica Portuguesa - Pólo da Foz 
Sextas feiras: sala dos executivos | Sábados: sala EC-136 

Coordenação Científica: Prof.ª Doutora Maria Clara Sottomayor 
Coordenação do Projecto Criar: Dr.ª Leonor Valente Monteiro

 


CANDIDATURAS AO CARGO DE 
COORDENADOR/A DO ESPAÇO DE ATENDIMENTO VITA DO PROJETO VITA N.º 086324/2012/73

ASSOCIAÇÃO PROJECTO CRIAR
pela defesa dos direitos das crianças
combate ao abuso sexual, violência  doméstica
e ao tráfico de seres humanos

Entre o dia 27 de Abril a partir das 13:15h e o dia 4 de Maio até às 13:15h decorre o concurso para COORDENADOR/A DO ESPAÇO DE ATENDIMENTO VITA do projeto supracitado.

O objeto social da Associação Projecto Criar (APC) consiste em:
a) Apoiar crianças e jovens em perigo;
b) Prestar serviços de natureza jurídica, clínica, social a mulheres, crianças, jovens e famílias, quando estejam na qualidade de ofendidos/as;
c) Defender juridicamente os interesses das mulheres, crianças e jovens em processos no âmbito da Organização Tutelar de Menores, em processos tutelares educativos ou em processos de promoção e protecção e nos processos-crime;
d) Defesa jurídica das mulheres vítimas de maus tratos, violência doméstica, abuso sexual, tráfico para fins sexuais, ou outro tipo de crimes que se enquadrem no âmbito do objecto da associação;
e) Defender clinicamente as mulheres, crianças e jovens e suas famílias;
f) Proteger as mulheres e crianças vítimas de abusos sexuais, maus tratos, violência doméstica, tráfico de seres humanos e outro tipo de crimes;
g) Ajudar a respeitar a audição das crianças em todos os processos que a elas digam respeito;
h) Proteger a relação afectiva da criança com a figura primária de referência;
i)  Proceder a estudos relativamente a matérias que, no campo do Direito, sejam relevantes para a efectivação dos objectos da associação acima referidos bem como no que concerne à igualdade de direitos e oportunidades legalmente consignada;
j) Propor às instâncias competentes a elaboração, alteração ou revogação de quaisquer diplomas a fim de obter efectivação dos objectos da associação, bem como a plena igualdade de direitos e oportunidades;
k) Promover o esclarecimento e o debate sobre a situação das mulheres e das crianças e jovens, divulgar os seus direitos e denunciar, por todos os meios as formas de discriminação;
l)  Promover o empreendedorismo social e a responsabilidade social;
m) Fomentar o intercâmbio de conhecimentos e experiências com outras organizações a nível nacional e internacional e colaborar com elas em iniciativas que possam contribuir para a prossecução dos fins da Associação.

O PROJETO VITA visa essencialmente:

Criação de um espaço de atendimento ao público na Associação com vista ao apoio às vítimas de violência de género, de maneira a melhorar os mecanismos de apoio e consulta psicológica e jurídica, fora do contexto judiciário, incluindo as vítimas de TSH para fins de exploração sexual ou para crianças abusadas sexualmente, apoio que será dado sempre através de técnicos/as especializados/as com vista a que seja um apoio eficaz e que prevenir a revitimização. Também neste espaço poderá ser dado apoio nas questões relacionadas com as questões da igualdade de género no local de trabalho, na rua e na vida privada.
Na organização deste espaço são criadas fichas com dados relevantes para angariação de estatísticas e fichas padronizadas com elementos que consideramos fundamentais ao bom desempenho da nossa atividade. 
Organização de 4 fóruns com duração de 1 dia cada, com respetivo envio de convites às entidades, elaboração do programa, criação de flyers e sua divulgação junto de entidades parceiras  - Centro de Estudos Judiciários, Conselhos Distritais da Ordem dos Advogados, Coordenações Distritais da Procuradoria Geral da República, Comandos Distritais da GNR e da PSP, estruturas sindicais representativas das diferentes profissões associadas a estas entidades, Comissão Nacional de Protecção das Crianças e Jovens em Risco, Ordem dos Psicólogos, Ministérios; Autoridade Central (Convenções Internacionais), Segurança Social; Associações Juvenis - a desenvolver na região de convergência do Norte.
Elaboração e publicação dos textos decorrentes dos fóruns e Elaboração e publicação do manual de boas práticas a ser usado junto das comissões de protecção de crianças e jovens em perigo, com colocação no site da APC. E a articulação entre o sistema policial e judiciário e a própria associação.

Como critérios de selecção são estabelecidos os seguintes:
a) Conhecimento da área específica do projecto ao qual se candidata de preferência com licenciatura em Psicologia;
b) Eventual grau de envolvimento na elaboração do projecto;
c) O trabalho de voluntariado desenvolvido anteriormente nesta área específica;
d) Trabalho voluntário na Associação Projecto Criar, no sentido geral;
e) Demonstrar experiência em coordenação de gabinetes de atendimento a vítimas vulneráveis e demonstrar experiência no âmbito de outros projectos financiados pelo Fundo Social Europeu,
f)Competências para a concretização do projecto nas suas diferentes vertentes: coordenação do espaço de atendimento a vítimas vulneráveis, atendimento e acompanhamento psicológico a vítimas vulneráveis, organização de grupo terapêuticos compostos por vítimas vulneráveis e acompanhamento individual de cada um dos elementos dos grupos, articulação com sistemas de apoio a agressores independentes da Associação, capacidade para estabelecer parcerias com instituições e pessoas com  elevados cargos de direção.
g) Experiência de trabalho anterior com com grupos terapêuticos, 
h) Perspectiva feminista.
i) Familiarização com os temas da violência de género.
l) Demonstrar capacidade de trabalho em equipa e forte capacidade de adaptação a situações de stress

As candidaturas são apresentadas através carta de motivação e envio do CV para o mail: projectocriar@gmail.com
Nota: Caso o curriculuns enviados se adequem aos critérios de seleção antecipadamente estabelecidos, será agendada uma entrevista presencial, através do envio do dia, hora e local da entrevista para o email do/a candidato/a. 

Projecto Financiado Pelo Fundo Social Europeu através do POPH

CANDIDATURAS AO CARGO DE 
GESTOR/A  FINANCEIRO/A E DA PLATAFORMA SIIFSE DO PROJETO VITA N.º 086324/2012/73

ASSOCIAÇÃO PROJECTO CRIAR
pela defesa dos direitos das crianças
combate ao abuso sexual, violência  doméstica
e ao tráfico de seres humanos

Entre o dia 27 de Abril a partir das 13:00h e o dia 4 de Maio até às 13:00h decorre o concurso para GESTOR/A FINANCEIRO/A E DA PLATAFORMA SIIFSE do projeto supracitado.

O objeto social da Associação Projecto Criar (APC) consiste em:
a) Apoiar crianças e jovens em perigo;
b) Prestar serviços de natureza jurídica, clínica, social a mulheres, crianças, jovens e famílias, quando estejam na qualidade de ofendidos/as;
c) Defender juridicamente os interesses das mulheres, crianças e jovens em processos no âmbito da Organização Tutelar de Menores, em processos tutelares educativos ou em processos de promoção e protecção e nos processos-crime;
d) Defesa jurídica das mulheres vítimas de maus tratos, violência doméstica, abuso sexual, tráfico para fins sexuais, ou outro tipo de crimes que se enquadrem no âmbito do objecto da associação;
e) Defender clinicamente as mulheres, crianças e jovens e suas famílias;
f) Proteger as mulheres e crianças vítimas de abusos sexuais, maus tratos, violência doméstica, tráfico de seres humanos e outro tipo de crimes;
g) Ajudar a respeitar a audição das crianças em todos os processos que a elas digam respeito;
h) Proteger a relação afectiva da criança com a figura primária de referência;
i)  Proceder a estudos relativamente a matérias que, no campo do Direito, sejam relevantes para a efectivação dos objectos da associação acima referidos bem como no que concerne à igualdade de direitos e oportunidades legalmente consignada;
j) Propor às instâncias competentes a elaboração, alteração ou revogação de quaisquer diplomas a fim de obter efectivação dos objectos da associação, bem como a plena igualdade de direitos e oportunidades;
k) Promover o esclarecimento e o debate sobre a situação das mulheres e das crianças e jovens, divulgar os seus direitos e denunciar, por todos os meios as formas de discriminação;
l)  Promover o empreendedorismo social e a responsabilidade social;
m) Fomentar o intercâmbio de conhecimentos e experiências com outras organizações a nível nacional e internacional e colaborar com elas em iniciativas que possam contribuir para a prossecução dos fins da Associação.

O PROJETO VITA visa essencialmente:

Criação de um espaço de atendimento ao público na Associação com vista ao apoio às vítimas de violência de género, de maneira a melhorar os mecanismos de apoio e consulta psicológica e jurídica, fora do contexto judiciário, incluindo as vítimas de TSH para fins de exploração sexual ou para crianças abusadas sexualmente, apoio que será dado sempre através de técnicos/as especializados/as com vista a que seja um apoio eficaz e que prevenir a revitimização. Também neste espaço poderá ser dado apoio nas questões relacionadas com as questões da igualdade de género no local de trabalho, na rua e na vida privada.
Na organização deste espaço são criadas fichas com dados relevantes para angariação de estatísticas e fichas padronizadas com elementos que consideramos fundamentais ao bom desempenho da nossa atividade. 
Organização de 4 fóruns com duração de 1 dia cada, com respetivo envio de convites às entidades, elaboração do programa, criação de flyers e sua divulgação junto de entidades parceiras  - Centro de Estudos Judiciários, Conselhos Distritais da Ordem dos Advogados, Coordenações Distritais da Procuradoria Geral da República, Comandos Distritais da GNR e da PSP, estruturas sindicais representativas das diferentes profissões associadas a estas entidades, Comissão Nacional de Protecção das Crianças e Jovens em Risco, Ordem dos Psicólogos, Ministérios; Autoridade Central (Convenções Internacionais), Segurança Social; Associações Juvenis - a desenvolver na região de convergência do Norte.
Elaboração e publicação dos textos decorrentes dos fóruns e Elaboração e publicação do manual de boas práticas a ser usado junto das comissões de protecção de crianças e jovens em perigo, com colocação no site da APC. E a articulação entre o sistema policial e judiciário e a própria associação.

Como critérios de selecção são estabelecidos os seguintes:
a) Conhecimento da área específica do projecto ao qual se candidata;
b) Eventual grau de envolvimento na elaboração do projecto;
c) O trabalho de voluntariado desenvolvido nesta área específica;
d) Trabalho voluntário na Associação Projecto Criar, no sentido geral;
e) Demonstrar experiência em gestão financeira e da plataforma siifse, no que concerne a outros projectos financiados pelo Fundo Social Europeu,
f)Competências para a concretização do projecto nas suas diferentes vertentes: gestão financeira e da plataforma siifse.
g) Condições de responsabilização e conhecimentos para a elaboração de pedidos de reembolso, organização contabilística do projecto e resposta a pedidos de auditoria.
h) Perspectiva feminista.
i) Familiarização sobre os temas da igualdade de género.
l) Demonstrar capacidade de trabalho em equipa e forte capacidade de adaptação a situações de stress

As candidaturas são apresentadas através carta de motivação e envio do CV para o mail: projectocriar@gmail.com
Nota: Caso o curriculuns enviados se adequem aos critérios de seleção antecipadamente estabelecidos, será agendada uma entrevista presencial, através do envio do dia, hora e local da entrevista para o email do/a candidato/a. 

Projecto Financiado Pelo Fundo Social Europeu através do POPH

CANDIDATURAS AO CARGO DE 
GESTOR/A  DO PROJETO VITA E SUPERVISOR/A DA COORDENAÇÃO DO
PROJETO VITA N.º 086324/2012/73

ASSOCIAÇÃO PROJECTO CRIAR
pela defesa dos direitos das crianças
combate ao abuso sexual, violência  doméstica
e ao tráfico de seres humanos

Entre o dia 27 de Abril a partir das 13:00h e o dia 4 de Maio até às 13:00h decorre o concurso para gestor/a do projeto e supervisor/a da Coordenação do projeto supracitado.

O objeto social da Associação Projecto Criar (APC) consiste em:
a) Apoiar crianças e jovens em perigo;
b) Prestar serviços de natureza jurídica, clínica, social a mulheres, crianças, jovens e famílias, quando estejam na qualidade de ofendidos/as;
c) Defender juridicamente os interesses das mulheres, crianças e jovens em processos no âmbito da Organização Tutelar de Menores, em processos tutelares educativos ou em processos de promoção e protecção e nos processos-crime;
d) Defesa jurídica das mulheres vítimas de maus tratos, violência doméstica, abuso sexual, tráfico para fins sexuais, ou outro tipo de crimes que se enquadrem no âmbito do objecto da associação;
e) Defender clinicamente as mulheres, crianças e jovens e suas famílias;
f) Proteger as mulheres e crianças vítimas de abusos sexuais, maus tratos, violência doméstica, tráfico de seres humanos e outro tipo de crimes;
g) Ajudar a respeitar a audição das crianças em todos os processos que a elas digam respeito;
h) Proteger a relação afectiva da criança com a figura primária de referência;
i)  Proceder a estudos relativamente a matérias que, no campo do Direito, sejam relevantes para a efectivação dos objectos da associação acima referidos bem como no que concerne à igualdade de direitos e oportunidades legalmente consignada;
j) Propor às instâncias competentes a elaboração, alteração ou revogação de quaisquer diplomas a fim de obter efectivação dos objectos da associação, bem como a plena igualdade de direitos e oportunidades;
k) Promover o esclarecimento e o debate sobre a situação das mulheres e das crianças e jovens, divulgar os seus direitos e denunciar, por todos os meios as formas de discriminação;
l)  Promover o empreendedorismo social e a responsabilidade social;
m) Fomentar o intercâmbio de conhecimentos e experiências com outras organizações a nível nacional e internacional e colaborar com elas em iniciativas que possam contribuir para a prossecução dos fins da Associação.

O PROJETO VITA visa essencialmente:

Criação de um espaço de atendimento ao público na Associação com vista ao apoio às vítimas de violência de género, de maneira a melhorar os mecanismos de apoio e consulta psicológica e jurídica, fora do contexto judiciário, incluindo as vítimas de TSH para fins de exploração sexual ou para crianças abusadas sexualmente, apoio que será dado sempre através de técnicos/as especializados/as com vista a que seja um apoio eficaz e que prevenir a revitimização. Também neste espaço poderá ser dado apoio nas questões relacionadas com as questões da igualdade de género no local de trabalho, na rua e na vida privada.
Na organização deste espaço são criadas fichas com dados relevantes para angariação de estatísticas e fichas padronizadas com elementos que consideramos fundamentais ao bom desempenho da nossa atividade. 
Organização de 4 fóruns com duração de 1 dia cada, com respetivo envio de convites às entidades, elaboração do programa, criação de flyers e sua divulgação junto de entidades parceiras  - Centro de Estudos Judiciários, Conselhos Distritais da Ordem dos Advogados, Coordenações Distritais da Procuradoria Geral da República, Comandos Distritais da GNR e da PSP, estruturas sindicais representativas das diferentes profissões associadas a estas entidades, Comissão Nacional de Protecção das Crianças e Jovens em Risco, Ordem dos Psicólogos, Ministérios; Autoridade Central (Convenções Internacionais), Segurança Social; Associações Juvenis - a desenvolver na região de convergência do Norte.
Elaboração e publicação dos textos decorrentes dos fóruns e Elaboração e publicação do manual de boas práticas a ser usado junto das comissões de protecção de crianças e jovens em perigo, com colocação no site da APC. E a articulação entre o sistema policial e judiciário e a própria associação.

Como critérios de selecção são estabelecidos os seguintes:
a) Conhecimento da área específica do projecto ao qual se candidata;
b) Eventual grau de envolvimento na elaboração do projecto;
c) O trabalho de voluntariado desenvolvido nesta área específica;
d) Trabalho voluntário na Associação Projecto Criar, no sentido geral;
e) Demonstrar experiência em gestão, coordenação ou supervisão de outros projectos financiados pelo Fundo Social Europeu,
f)Competências para a concretização do projecto nas suas diferentes vertentes: gestão técnica e financeira e supervisão da coordenação.
g) Condições de responsabilização e conhecimentos para a elaboração de manuais, capacidade para definir estratégias com vista à articulação entre o sistema policial/judiciário e a Associação Projecto Criar.
h) Perspectiva feminista.
i) Familiarização sobre os temas da igualdade de género e violência de género.
j) Fortes conhecimentos ao nível dos Direitos Humanos de preferência já com publicações editadas,
l) Demonstrar muito à vontade para estabelecer parcerias diretamente com Instituições e pessoas com elevados cargos  de direção. 
Projecto Financiado Pelo Fundo Social Europeu através do POPH