Já abriram as inscrições para os novos cursos de formação da APC.

Inscrições no link abaixo:
https://docs.google.com/forms/d/1kX9s3F8RZ1mMzLQEuAjsp1uGxasHuIL6r8J7NiHr00E/viewform


"Violência, Agressão e Vitimação: práticas para a Intervenção" acaba de ser lançado pela editora Almedina. Autoras: Ana Sani e Sónia Caridade.




A nossa festa de Halloween é já na próxima quinta-feira.

APAREÇAM! 
No próximo dia 23 de Novembro vai realizar-se na cidade do Porto a 3ª Marcha Contra a Violência Doméstica.

A iniciativa que se realiza pelo terceiro ano consecutivo tem inicio marcado para as 16:00h entre o Palácio da Justiça e a Avenida dos Aliados.

Para além de sensibilizar a sociedade, esta marcha será uma manifestação de apoio e de solidariedade a todas as vitimas, muitas vezes ignoradas e esquecidas, mostrando-lhes que não estão sozinhas nesta luta que deve dizer respeito a todos e a todas.


É tempo de dizer BASTA à violência doméstica.
Chega de INDIFERENÇA.
«A separação e o divórcio estão cada vez mais presentes na vida das nossas crianças.
Sou filho de pais separados… e agora? Pretende demonstrar tanto às crianças como aos pais que a separação não tem que se traduzir obrigatoriamente numa experiência dolorosa, angustiante. A história do Pedro, da Inês, do Afonso e da Leonor é a prova disso… histórias diferentes, vivências diferentes que resultam numa perceção positiva da separação dos pais.»




Apresentação do livro dia 7 de Setembro, pelas 18h30, no Orfeão de Santa Maria da Feira.
A Associação Projecto Criar continua a desenvolver cursos de formação totalmente gratuitos.




Para mais informações contactem-nos através do e-mail: projectocriar@gmail.com
A Associação Projecto Criar encontra-se a desenvolver cursos totalmente gratuitos na área da Violência Doméstica e Abuso Sexual de Crianças.

O 1º Curso de 60h para CPCj's, Juristas e Agentes Sociais começa já esta sexta-feira e ainda há vagas disponíveis para inscrição.

Inscrevam-se o mais rápido possível.



Vão ser abordadas temáticas como:
- O abuso sexual e a violência doméstica como fenómenos epidémicos nas sociedades;
- A Proteção das Crianças - Processos de Promoção e Proteção;
- Sintomatologia das vítimas de violência doméstica;
- Perícias médico-legais - Meios de Prova;
- Igualdade de género na Educaçao;
- Abuso Sexual de Menores;
- Processos tutelares Cíveis;´
- Grávidas Vítimas de Violência Doméstica;
- Responsabilização Penal do Agressor;
- Tráfico de Seres Humanos.

O Curso irá realizar-se todas as sextas de tarde e sábados de manhã nas seguintes datas:
- 1º Curso - 28/06 a 03/08;
- 2º Curso - 06/09 a 12/10;
- 3º Curso - 18/10 a 23/11;
- 4º Curso - 29/11 a 28/12.


Para se inscrever ou para mais informações contacte-nos através do e-mail: projectocriar@gmail.com

                                                                       

Atendimentos APC
6 meses de estatística

Desde Novembro de 2012 até Maio de 2013, a Associação Projecto Criar, no âmbito dos seus dois Gabinetes: GIAC (Gabinete Interdisciplinar de Apoio à Criança) e Espaço VITA, fez 374 atendimentos a vítimas.


Desses atendimentos, 94 eram homens/meninos e 280 mulheres/meninas.
  
A maior parte dos casos atendidos pelos/as técnico/as da APC estavam relacionados com a problemática da Violência Doméstica, onde foi dado o respetivo Apoio Jurídico e Psicológico.



Regulamento Concurso de Papers no âmbito do Projeto VITA


1. Introdução
A APC – Associação Projecto Criar, no âmbito do Projecto VITA, irá realizar 4 Fóruns sobre as “Boas e más práticas na condução dos processos junto das CPCJs – Comissões de Proteção de Crianças e Jovens em Risco”, em Setembro e Novembro de 2013 e Março e Junho de 2014 (datas a disponibilizar no blog da APC).

2. O Projeto VITA tem como principais objetivos:

a)                   Criação do espaço VITA, com vista ao apoio às vítimas de violência doméstica e maus tratos, assédio moral e/ou sexual, de maneira a melhorar os mecanismos de apoio e consulta jurídica, fora do contexto judiciário, incluindo as vítimas de TSH para fins de exploração sexual ou para crianças abusadas sexualmente;
b)                   Criação de um manual de boas práticas a adotar nas Comissões de Proteção de Crianças e Jovens em Risco, com vista a prevenir a revitimização das vítimas, sendo as crianças as vítimas mais vulneráveis e menos protegidas pelo sistema;
c)                   Desmistificar o tema do abuso sexual de crianças e jovens e do tráfico para fins de exploração sexual de crianças e mulheres;
d)                   Reforçar a articulação das respostas policiais e judiciárias existentes para as crianças e jovens em risco no âmbito da violência vicariante.

3. Organização dos Fóruns
Os Fóruns serão organizados em conjunto com intervenientes dos Centros de Estudos Judiciários, Conselhos Distritais da Ordem dos Advogados, Coordenações Distritais da Procuradoria-Geral da República, Comandos Distritais da GNR e da PSP, estruturas sindicais representativas das diferentes profissões associadas a estas entidades, Comissão Nacional de Proteção das Crianças e Jovens em Risco, Ordem dos Psicólogos, Ministérios; Autoridade Central (Convenções Internacionais), Segurança Social; Associações Juvenis, pretende-se debater a forma como os processos são dirigidos e analisados pelos/as técnicos/as das CPCJ’s com vista a verificar se a forma utilizada até ao momento é mais correta, se existem alternativas mais eficazes e quais as soluções para melhorar as práticas.

4.  Apresentação dos Papers
A APC – Associação projecto criar pretende ouvir a opinião da Comunidade em Geral, em relação a algum estudo / investigação que tenham levado a cabo no âmbito da atuação das CPCJ'S ou sobre alguma vivência que tenham tido numa CPCJ, na qualidade de técnico/a ou vítima, relatando o que aconteceu, a forma como foram tratados/as e se conseguiram resolver o vosso problema.

5. Conteúdo dos Papers
Os textos dos Papers deverão ter o máximo de 5 páginas e espelhar a experiência de cada um/uma no relacionamento com as CPCJs, quer no âmbito dos seus procedimentos, no âmbito da prevenção, quer como utente e/ou a algum estudo/investigação que tenham levado a cabo no âmbito da atuação das CPCJ'S.

6. Participação
Este concurso é aberto a todos os/as cidadãos/ãs residentes em Portugal, com idade igual ou superior a 18 anos.
Os Papers deverão ser enviados até ao dia 15 de Maio de 2014 para análise.
O vencedor será anunciado no dia 20 de Junho de 2014, dia anterior ao último fórum - em local ainda a designar.

7. Composição do Júri
O Júri será composto por elementos destacados pela direção da APC – Associação Projeto Criar e elementos de algumas CPCJ’s, parceiras neste projeto.

8.  Critérios de Avaliação
O Júri terá os seguintes critérios na avaliação dos Papers enviados:

·         Importância da situação descrita;
·         Impacto da experiência vivida no relacionamento com as CPCJs;
·         Contributo para melhoria das práticas utilizadas pelas CPCJs .

9.       Incentivos
O melhor texto aparecerá no manual de “Boas Práticas” que irá ser elaborado no final do projecto e será premiado no último Fórum, a realizar em Junho de 2014, com um vale de 100€ em compras na FNAC e a inscrição durante um ano como associado/a na APC sem pagamento de Jóia e respetivas quotas.

10.    Responsabilidade
A APC – Associação Projecto Criar e a equipa organizadora do Fóruns não podem ser consideradas responsáveis pela anulação, adiamento ou alteração do concurso, devido a circunstâncias imprevistas ou casos de força maior.

11.  Exclusão
A equipa organizadora deste concurso reserva-se o direito de excluir, propostas submetidas no decorrer do mesmo.

12. Aceitação da regulamentação
a)                   A participação no concurso implica a plena aceitação das normas do presente regulamento.
b)                   A decisão do Júri é soberana e não haverá lugar a qualquer tipo de recurso.

13. Notas

A deliberação sobre casos omissos a que o regulamento não dê resposta, será da responsabilidade da equipa Técnico-operacional da APC – Associação Projecto Criar.

São João das Crianças


A Associação Projecto Criar vai, este ano, organizar uma festa de São João dedicada às crianças.


No dia 23 durante toda a tarde e noite, na esplanada da Confeitaria Sical, vai haver diversão e muita animação.

A APC vai animar a tarde da véspera deste São João e a festa começa logo às 15h.


Apareçam, tragam os voss@s amig@s e partilhem o nosso cartaz!


Arraial Pride

 A Associação Projecto Criar vai estar presente no Arraial Pride 2013. O Arraial Pride vai decorrer no dia 6 de Julho, Sábado, das 16h às 4h, no Terreiro do Paço. 

Estes são os convidados musicais que vão animar a noite.

Passem na nossa tenda!





http://arraialpride.ilga-portugal.pt/2013/


O canal SIC  decidiu apoiar a APC e irá, a partir de 3 junho até finais de Agosto, começar a passar o spot da campanha contra o abuso sexual de crianças nos canais seus canais.

SIC GENERALISTA:


De 2ª a 6ª feira – entre as 06:00h e as 10:00h  e após as sessões de cinema da noite.
- Sábado e Domingo – após as sessões de cinema da noite.

SIC NOTÍCIAS E SIC MULHER:

- De 2ªfeira a Domingo – às 06:00h às 14:00h e 24:00 horas.

Por favor, continuem a divulgar esta campanha.

A APC agradece a divulgação, obrigada por acreditarem em nós!



When Silence is Anything But Golden

A revista Algarve Resident publicou uma reportagem sobre a Associação Projecto Criar "When Silence is Anything But Golden".

 Leia a publicação online em: http://www.algarveresident.com/0-53111/algarve/when-silence-is-anything-but-golden

II Congresso de Medicina Legal e Psicologia Forense em reportagem no Jornal Público

O Jornal Público publicou ontem uma reportagem sobre o II Congresso de Medicina Legal e Psicologia Forense no qual também esteve presente a Associação Projecto Criar. Na segunda imagem pode se ver a Dr.ª Joana Azevedo que fez a comunicação oral Além do Direito e da Justiça.




ARRAIAL PRIDE 2013 

A Associação Projecto Criar foi convidada para estar presente no Arraial Pride 2013 organizado pela ILGA Portugal, com uma tenda. Este evento vai ocorrer no dia 6 de Julho em Lisboa - Terreiro do Paço.

A APC questiona assim todas as pessoa
s que observam esta página sobre ideias para angariação de fundos nesta mega festa de celebração da igualdade, que o ano passado juntou mais de 30.000 pessoas.

Infelizmente, a venda de bebidas e comidas não é permitida.

Ficamos a aguardar as vossas ideias.

Quem quiser apresentar-se como voluntári@ avise-nos para o email: projectocriar@gmail.com

Mais informações em: 

http://arraialpride.ilga-portugal.pt/2013/pt/
É com enorme orgulho que apresentamos a imagem do nosso mais recente projecto
As pétalas são pessoas

DONATIONS/DONATIVOS (please identify donor/por favor identificar doador):

NIB: 0045 9031 40254432712 80

IBAN: PT50-0045 9031 4025 4432 7128 0

SWIFT: CCCMPTPL
A Igualdade de género em 18 minutos



CANDIDATURAS AO CARGO DE 
ADMINISTRATIVO/A DO PROJETO VITA 086324/2012/73

ASSOCIAÇÃO PROJECTO CRIAR
pela defesa dos direitos das crianças
combate ao abuso sexual, violência  doméstica
e ao tráfico de seres humanos

Entre o dia 30 de Abril a partir das 21:00h e o dia 7 de Maio até às 21:00h decorre o concurso para ADMINISTRATIVO/A do projeto supracitado.

O objeto social da Associação Projecto Criar (APC) consiste em:
a) Apoiar crianças e jovens em perigo;
b) Prestar serviços de natureza jurídica, clínica, social a mulheres, crianças, jovens e famílias, quando estejam na qualidade de ofendidos/as;
c) Defender juridicamente os interesses das mulheres, crianças e jovens em processos no âmbito da Organização Tutelar de Menores, em processos tutelares educativos ou em processos de promoção e protecção e nos processos-crime;
d) Defesa jurídica das mulheres vítimas de maus tratos, violência doméstica, abuso sexual, tráfico para fins sexuais, ou outro tipo de crimes que se enquadrem no âmbito do objecto da associação;
e) Defender clinicamente as mulheres, crianças e jovens e suas famílias;
f) Proteger as mulheres e crianças vítimas de abusos sexuais, maus tratos, violência doméstica, tráfico de seres humanos e outro tipo de crimes;
g) Ajudar a respeitar a audição das crianças em todos os processos que a elas digam respeito;
h) Proteger a relação afectiva da criança com a figura primária de referência;
i)  Proceder a estudos relativamente a matérias que, no campo do Direito, sejam relevantes para a efectivação dos objectos da associação acima referidos bem como no que concerne à igualdade de direitos e oportunidades legalmente consignada;
j) Propor às instâncias competentes a elaboração, alteração ou revogação de quaisquer diplomas a fim de obter efectivação dos objectos da associação, bem como a plena igualdade de direitos e oportunidades;
k) Promover o esclarecimento e o debate sobre a situação das mulheres e das crianças e jovens, divulgar os seus direitos e denunciar, por todos os meios as formas de discriminação;
l)  Promover o empreendedorismo social e a responsabilidade social;
m) Fomentar o intercâmbio de conhecimentos e experiências com outras organizações a nível nacional e internacional e colaborar com elas em iniciativas que possam contribuir para a prossecução dos fins da Associação.

O PROJETO VITA visa essencialmente:

Criação de um espaço de atendimento ao público na Associação com vista ao apoio às vítimas de violência de género, de maneira a melhorar os mecanismos de apoio e consulta psicológica e jurídica, fora do contexto judiciário, incluindo as vítimas de TSH para fins de exploração sexual ou para crianças abusadas sexualmente, apoio que será dado sempre através de técnicos/as especializados/as com vista a que seja um apoio eficaz e que prevenir a revitimização. Também neste espaço poderá ser dado apoio nas questões relacionadas com as questões da igualdade de género no local de trabalho, na rua e na vida privada.
Na organização deste espaço são criadas fichas com dados relevantes para angariação de estatísticas e fichas padronizadas com elementos que consideramos fundamentais ao bom desempenho da nossa atividade. 
Organização de 4 fóruns com duração de 1 dia cada, com respetivo envio de convites às entidades, elaboração do programa, criação de flyers e sua divulgação junto de entidades parceiras  - Centro de Estudos Judiciários, Conselhos Distritais da Ordem dos Advogados, Coordenações Distritais da Procuradoria Geral da República, Comandos Distritais da GNR e da PSP, estruturas sindicais representativas das diferentes profissões associadas a estas entidades, Comissão Nacional de Protecção das Crianças e Jovens em Risco, Ordem dos Psicólogos, Ministérios; Autoridade Central (Convenções Internacionais), Segurança Social; Associações Juvenis - a desenvolver na região de convergência do Norte.
Elaboração e publicação dos textos decorrentes dos fóruns e Elaboração e publicação do manual de boas práticas a ser usado junto das comissões de protecção de crianças e jovens em perigo, com colocação no site da APC. E a articulação entre o sistema policial e judiciário e a própria associação.

Como critérios de selecção são estabelecidos os seguintes:

a)       Conhecimento da área específica do projecto ao qual se candidata, de preferência com licenciatura na área das ciências humanas (preferencialmente psicologia);
b)       Possuir experiência anterior como administrativo/a,
c)        O trabalho de voluntariado desenvolvido anteriormente nesta área específica;
d)       Trabalho voluntário na Associação Projecto Criar, no sentido geral;
e)       Capacidade para antever situações que podem vir a ser um problema,
f)         Excelente capacidade de organização, gestão e planeamento pessoal e de uma equipa,
g)       Demonstrar capacidade para dar apoio à coordenação e gestão financeira do projecto.
h)       Capacidade para elaboração expediente diário,
i)         Demonstrar capacidade para um atendimento telefónico e pessoal a vítimas vulneráveis,
j)         Boa capacidade de comunicação e relacionamento interpessoal,
k)        Possuir uma apresentação cuidada,
l)         Capacidade para gerir a base de dados dos/as Associados/as,
m)      Aptidão para trabalhar nas redes sociais, nomeadamente Facebook e no Blog da Associação e softwares informáticos de gestão,
n)       Evidenciar capacidades pro-ativas na gestão das tarefas, forte capacidade de iniciativa, polivalência e rigor,
o)       Capacidade para trabalhar sobre pressão,
p)       Demonstrar experiência no âmbito de outros projectos financiados pelo Fundo Social Europeu,
q)       Demonstrar competências para a concretização do projecto nas suas diferentes vertentes: atendimento e acompanhamento de vítimas vulneráveis em termos administrativos, organização das vítimas que compõem os grupos terapêuticos, marcação de agenda para a articulação do gabinete com sistemas de apoio a agressores independentes da Associação, marcação de agenda para articulação do sistema judicial e policial com a Associação, capacidade para estabelecer parcerias com instituições e pessoas com  elevados cargos de direção.
r)        Demonstrar capacidade para definir estratégias com vista à articulação entre o sistema policial/judiciário e a Associação Projecto Criar.
s)        Capacidade para criar/idealizar procedimentos internos de organização de uma bolsa de especialistas,
t)         Perspectiva feminista.
u)       Familiarização com os temas da violência de género.

As candidaturas são apresentadas através carta de motivação e envio do CV para o mail: projectocriar@gmail.com

Nota: Caso o curriculuns enviados se adequem aos critérios de seleção antecipadamente estabelecidos, será agendada uma entrevista presencial, através do envio do dia, hora e local da entrevista para o email do/a candidato/a. 
Projecto Financiado Pelo Fundo Social Europeu através do POPH

CANDIDATURAS AO CARGO DE 
ADMINISTRATIVO/A DO PROJETO GIAC 084230/2012/77

ASSOCIAÇÃO PROJECTO CRIAR
pela defesa dos direitos das crianças
combate ao abuso sexual, violência  doméstica
e ao tráfico de seres humanos

Entre o dia 30 de Abril a partir das 21:00h e o dia 7 de Maio até às 21:00h decorre o concurso para ADMINISTRATIVO/A do projeto supracitado.

O objeto social da Associação Projecto Criar (APC) consiste em:
a) Apoiar crianças e jovens em perigo;
b) Prestar serviços de natureza jurídica, clínica, social a mulheres, crianças, jovens e famílias, quando estejam na qualidade de ofendidos/as;
c) Defender juridicamente os interesses das mulheres, crianças e jovens em processos no âmbito da Organização Tutelar de Menores, em processos tutelares educativos ou em processos de promoção e protecção e nos processos-crime;
d) Defesa jurídica das mulheres vítimas de maus tratos, violência doméstica, abuso sexual, tráfico para fins sexuais, ou outro tipo de crimes que se enquadrem no âmbito do objecto da associação;
e) Defender clinicamente as mulheres, crianças e jovens e suas famílias;
f) Proteger as mulheres e crianças vítimas de abusos sexuais, maus tratos, violência doméstica, tráfico de seres humanos e outro tipo de crimes;
g) Ajudar a respeitar a audição das crianças em todos os processos que a elas digam respeito;
h) Proteger a relação afectiva da criança com a figura primária de referência;
i)  Proceder a estudos relativamente a matérias que, no campo do Direito, sejam relevantes para a efectivação dos objectos da associação acima referidos bem como no que concerne à igualdade de direitos e oportunidades legalmente consignada;
j) Propor às instâncias competentes a elaboração, alteração ou revogação de quaisquer diplomas a fim de obter efectivação dos objectos da associação, bem como a plena igualdade de direitos e oportunidades;
k) Promover o esclarecimento e o debate sobre a situação das mulheres e das crianças e jovens, divulgar os seus direitos e denunciar, por todos os meios as formas de discriminação;
l)  Promover o empreendedorismo social e a responsabilidade social;
m) Fomentar o intercâmbio de conhecimentos e experiências com outras organizações a nível nacional e internacional e colaborar com elas em iniciativas que possam contribuir para a prossecução dos fins da Associação.

Como critérios de selecção são estabelecidos os seguintes:

a)   Conhecimento da área específica do projecto ao qual se candidata, de preferência com licenciatura na área das ciências humanas (preferencialmente psicologia);
b)       Possuir experiência anterior como administrativo/a,
c)        O trabalho de voluntariado desenvolvido anteriormente nesta área específica;
d)       Trabalho voluntário na Associação Projecto Criar, no sentido geral;
e)       Capacidade para antever situações que podem vir a ser um problema,
f)         Excelente capacidade de organização, gestão e planeamento pessoal e de uma equipa,
g)       Demonstrar capacidade para dar apoio à coordenação e gestão financeira do projecto.
h)       Capacidade para elaboração expediente diário,
i)         Demonstrar capacidade para um atendimento telefónico e presencial a vítimas vulneráveis,
j)         Boa capacidade de comunicação e relacionamento interpessoal,
k)        Possuir uma apresentação cuidada,
l)         Capacidade para gerir a base de dados dos/as Associados/as,
m)      Aptidão para trabalhar nas redes sociais, nomeadamente Facebook e no Blog da Associação e softwares informáticos de gestão,
n)       Evidenciar capacidades pro-ativas na gestão das tarefas, forte capacidade de iniciativa, polivalência e rigor,
o)       Capacidade para trabalhar sobre pressão,
p)       Demonstrar experiência no âmbito de outros projectos financiados pelo Fundo Social Europeu,
q)    Demonstrar competências para a concretização do projecto nas suas diferentes vertentes: atendimento e acompanhamento de vítimas vulneráveis em termos administrativos, organização das vítimas que compõem os grupos terapêuticos, marcação de agenda para a articulação do gabinete com sistemas de apoio a agressores independentes da Associação, marcação de agenda para articulação do sistema judicial e policial com a Associação, capacidade para estabelecer parcerias com instituições e pessoas com  elevados cargos de direção.
r)        Demonstrar capacidade para definir estratégias com vista à articulação entre o sistema policial/judiciário e a Associação Projecto Criar.
s)        Capacidade para criar/idealizar procedimentos internos de organização de uma bolsa de especialistas,
t)         Perspectiva feminista.
u)       Familiarização com os temas da violência de género.

As candidaturas são apresentadas através carta de motivação e envio do CV para o mail: projectocriar@gmail.com

Nota: Caso o curriculuns enviados se adequem aos critérios de seleção antecipadamente estabelecidos, será agendada uma entrevista presencial, através do envio do dia, hora e local da entrevista para o email do/a candidato/a. 


Projecto Financiado Pelo Fundo Social Europeu através do POPH