http://www.destak.pt/artigo/97341-projecto-criar-vai-apoiar-criancas-e-mulheres-vitimas-de-violencia

"Projecto Criar" vai apoiar crianças e mulheres vítimas de violência

03 | 06 | 2011  
 
Uma nova associação de apoio a crianças e jovens em perigo e a mulheres vítimas de violência foi hoje oficialmente constituída no Porto por um grupo de 12 profissionais de áreas como o direito, medicina e assistência social.
 
De âmbito nacional, o “Projeto Criar” é uma associação benemérita, presidida por Maria Clara Sottomayor, juiz social e docente na área de direito da família na Universidade Católica do Porto.

Apoiar crianças e jovens em perigo, prestar serviços de natureza jurídica, clínica e social a mulheres, crianças e jovens, proteger mulheres e crianças vítimas de abusos sexuais, maus tratos, violência doméstica, tráfico de seres humanos e outro tipo de crimes são apenas alguns dos objetivos desta associação.
Em declarações à Lusa, Leonor Valente Monteiro, vice-presidente da associação, explicou que as primeiras ações a desenvolver irão centrar-se na educação para igualdade de género, para que “as crianças deixem de crescer com os estereótipos que lhes são incutidos à medida que crescem”.

“De inicio, as nossas ações visam implementar nas escolas os guiões que a Comissão para Cidadania e Igualdade de Género já editou, promovê-los junto das crianças, e, ao mesmo tempo, iniciar os ‘workshops’ para formar as pessoas que queremos que constituam o núcleo duro da associação”, disse.

O projeto surge com o propósito de abordar o direito da família de forma multidisciplinar, juntando as mais variadas valências – psicologia, psiquiatria, medicina e direito, entre outras disciplinas.
O intuito é dar respostas a problemas que “a maior parte das vezes não são tratados em rede, uma vez que não existe em Portugal nenhuma associação com este tipo de intervenção”, acrescentou.

“Iremos prestar, gratuitamente, serviços de atendimento jurídico, clínico e de assistência social. Podemos constituir-nos assistentes em processos-crime de maus-tratos, violência doméstica, abuso sexual de crianças ou de regulação de responsabilidades parentais, entre outros”, afirmou Leonor Valente Monteiro.

O “Projeto Criar” é constituído por uma equipa de doze elementos – a maioria dos quais advogados e psicólogos -, em regime de voluntariado, e ficará sedeado na Praça Filipa de Lencastre, n.º 22, sala 68, no Porto, mas terá uma intervenção de âmbito nacional.

Foi oficialmente constituída a Associação Projecto Criar


Foi no passado dia 3 de Junho oficialmente constituída a Associação Projecto Criar. Presente esteve toda a equipa fundadora constituída pela Dra. Clara Sottomayor, a Dra. Leonor Valente Monteiro, a Dra. Joana Azevedo da Costa, a Dra Catarina Carneiro, a Dra Cristina Aguiar, a Dra Rita Braga da Cruz, o Dr. Gustavo Brandão do Nascimento, a Dra Sandra Santos, com excepção da Dra Marlene Carreiras Nogueira, do Dr. João Paulo Azevedo da Costa, e do Dr. José Arantes e Sousa que por responsabilidades profissionais inadiáveis não puderam comparecer encontrando-se  contudo devidamente representados.


Dra. Clara Sottomayor


Dra. Leonor Valente Monteiro


Dra. Joana Azevedo da Costa


Dra. Catarina Carneiro


Dra. Cristina Aguiar


Dra. Rita Braga da Cruz


Dr. Gustavo Brandão do Nascimento


Dra. Sandra Santos

Objectivos da Associação projecto Criar

A Associação é uma associação benemérita com âmbito de acção Nacional que se apoia em voluntários e especialistas em várias áreas com vista a prosseguir o seu objecto, que consiste em:

a) Apoiar crianças e jovens em perigo;
b) Prestar serviços de natureza jurídica, clínica, social a mulheres, crianças, jovens e famílias sempre na qualidade de ofendidos(as);
c) Defender juridicamente os interesses das crianças e jovens em processos no âmbito de processos tutelar cíveis, em processos tutelares educativos ou em processos de promoção e protecção e nos processos-crime em que intervenham na qualidade de ofendidos(as);
d) Proteger as mulheres e crianças vítimas de abusos sexuais, maus tratos, violência doméstica, tráfico de seres humanos e outro tipo de crimes;
e) Defesa jurídica das mulheres vítimas de maus tratos, violência doméstica, abuso sexual, tráfico para fins sexuais, ou outro tipo de crimes que se enquadrem no âmbito do objecto da associação;
f) Defender clinicamente as mulheres, crianças e jovens que assumam a qualidade de ofendidos(as) e membros da sua família;
g) Ajudar a respeitar a audição das crianças em todos os processos que a elas digam respeito;
h) Proteger a relação afectiva da criança com a figura primária de referência;
i) Proceder a estudos relativamente a matérias que, no campo do Direito, sejam relevantes para a efectivação dos objectos da associação acima referidos, bem como no que concerne à igualdade de direitos legalmente consignada;
j) Propor às instâncias competentes a elaboração, alteração ou revogação de quaisquer diplomas a fim de obter efectivação dos objectos da associação, bem como a plena igualdade de direitos;
k) Promover a educação para a Igualdade de Género.
l) Promover formação nas áreas de Igualdade de Género, Violência no Seio da Família, abuso Sexual, Pedofilia e Tráfico de Seres Humanos
m) Promover o esclarecimento e o debate sobre a situação das mulheres e das crianças e jovens, divulgar os seus direitos e denunciar, por todos os meios as formas de discriminação;
n) Promover a intervenção em rede com outras entidades relacionadas com o objecto da Associação.
o) Promover o empreendedorismo social e a responsabilidade social;
p) Fomentar o intercâmbio de conhecimentos e experiências com outras organizações a nível nacional e internacional e colaborar com elas em iniciativas que possam contribuir para a prossecução dos fins da Associação.
q) Realizar e promover campanhas de sensibilização em matéria de Igualdade de Género, Violência no Seio da Família, Abuso Sexual, Pedofilia e Tráfico de Seres Humanos